Durante os últimos dois séculos, a população humana sobre a terra dobrou, dobrou de novo e quase dobrou mais uma vez, aumentando desde 1 bilhão de pessoas até 7.6 bilhões de pessoas. Esse precipitoso aumento está na base de vários problemas ambientais no mundo, como o efeito estufa ou a extinção de múltiplas espécies. Com um abono generoso da Global Challenges Foundation, The Overpopulation Project (O Projeto Superpopulacional, TOP) estuda os impactos ambientais da superpopulação humana e explora políticas humanitárias que acabariam com o crescimento populacional no mundo inteiro.

População mundial, em bilhões. A população humana cresceu de 1 bilhão de pessoas em 1800 até 7.6 bilhões de pessoas no mundo inteiro. Continua crescendo por aproximadamente 83 milhões ao ano

Nosso Propósito

A humanidade está sobrecarregando o planeta Terra: usando recursos demais, gerando lixo demais, poluindo a paisagem demais e deixando o mar demais vazio. Isso, porém, é o único lugar que temos. Nossos descendentes dependerão do ecossistema do planeta para o bem-estar e saúde, como nós. Dez milhões de outras espécies também precisam de habitats e recursos cruciais para existirem e prosperarem. Nós não possuímos o direito de extingui-los; temos, sim, a responsabilidade de criar sociedades sustentáveis que permitam que todas as formas de vida no mundo floresçam.

Pegada Ecológica Humana. Resumo da pegada ecológica dos humanos na Terra. Fonte: Population Matters

Limitar o número de seres humanos há de ser parte desse esforço. Ambientalistas, porém, raramente chamam atenção a isso, ou porque acham que o crescimento populacional não é um problema, ou porque acham que o problema vai se resolver. Ambas essas visões estão equivocadas. O tamanho excessivo de famílias resulta em dezenas de milhões de crianças indo para cama com fome todo dia em países em desenvolvimento, onde o rápido crescimento da população sobrecarrega estoques restritos de água, comida e espaço. Enquanto isso, o crescimento contínuo da população está por trás do desmatamento, da morte dos corais, da pavimentação de terra arável e pantanais. No mundo inteiro, a maioria das populações nacionais continuam a crescer, a as Nações Unidas prevê um aumento de até 3.5 bilhões de pessoas adicionais até 2100.

TOP estuda os impactos ambientais da superpopulação em um esforço para relembrar a ambientalistas, cientistas e servidores públicos da importância que deter o crescimento populacional teria em lidar com os problemas ambientais globais. Acreditando que a maioria do crescimento populacional desse século possa ser evitado com boas políticas públicas, nossos estudos também delineiam políticas humanísticas que acabam com o crescimento populacional mais cedo do que tarde.

A escolha é nossa. Acabar com o crescimento populacionais ajudará a criar sociedades estáveis e conservar biomas naturais
As opiniões compartilhadas por autores terceiros em nosso blog não necessariamente refletem as de The Overpopulation Project.

Traduzido por Renato Whitaker